Renata Spallicci, a “Executiva Sarada”, mostra corpo impecável em fotos sensuais

Renata Spallicci, que sofria bullying na infância, hoje é chamada de “Executiva Sarada” por seu corpo impecável. A morena que tem 95cm de bumbum, 93cm de busto e 62cm de cintura distribuídos por 1,58m de altura conta como virou referência e um centro de ajuda para pessoas que precisam com suas palestras e com o Fit do Bem, movimento criado para inspirar pessoas pela busca de uma vida com propósitos e mais saudável.
“Acredito que muitas pessoas me seguem nas redes sociais e assistem às minhas palestras por eu ter um diferencial de conseguir conciliar uma série de papéis na vida e de carreiras, tanto executiva, como atleta, empreendedora e empreendedora social. Além disso tenho minha vida pessoal, meus amigos, noivo, família, enfim. Isso é o maior chamariz, o maior motivo das minhas seguidoras me acompanharem”, afirma a musa fitness de 35 anos.
“Percebo que o primeiro impacto ou motivo que as pessoas me seguem ou acompanham é proque tenho muita relação com o fitness e boa forma. Meu blog fala sobre transformação do corpo, fisiculturismo… Mas acho que também tem esse conjunto de mulheres que querem esse algo a mais. Hoje em dia todo mundo quer se cuidar, melhorar física e mentalmente”, completa Renata Spallicci.
A “Executiva Sarada” explica quais são maiores dúvidas e pedidos de ajuda recebidos por ela em suas palestras: “Justamente em como buscar o equilíbrio e desenvolver todas as áreas. Depois do momento das mulheres entrarem no mercado de trabalho e queimarem o sutiã, este é o momento de definições sociais. Vimos, sem generalizar, que a grande maioria das mulheres que tiveram uma carreira de muito sucesso acabaram não conseguindo levar este sucesso para a vida pessoal. Essa junção é um pouco mais comum no universo masculino. Minhas seguidoras são ávidas por conselhos, ferramentas, metodologias… A sociedade está se adaptando e mulheres se portando de outras formas. Gerações cresceram com poucas mulheres atuantes. Tenho essa luta de mudar o cenário em relação a percepção, atuação e participação das mulheres de uma forma geral”.
“Os casos mais interessantes são aqueles que consegui passar uma perspectiva para a pessoa que ela não tinha naquele momento. Vivi muitas situações de pessoas que assistiram as minhas palestras ou que me acompanham e não viam muita perspectiva. Peguei muitas mulheres de meia idade que já não se consideravam tão jovens para fazer tudo que gostariam e também não tão velhas para entregar os pontos. Mas que também não tinham uma visão do que poderiam fazer pois naquele momento haviam aberto mão de suas carreiras no passado e não sabiam como retomar. Queriam voltar a ser protagonistas do mercado de trabalho, mas não tinham histórico. Elas mesmo não se valorizavam. É maravilhosa a perspectiva de ver a pessoa enxergando uma possibilidade, voltando a sonhar, começando a se cuidar e vendo as transformações no corpo. E aí é uma consequência, um espiral ascendente, a pessoa vai ficando cada vez mais bonita, mais feliz e vai abrindo oportunidades. Assistir a esse crescimento e essa mudança é muito recompensador e é o que faz tudo valer a pena”, finaliza a criadora do movimento Fit do Bem.
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global
Photo: Bennerlan Diesel / MF Press Global