Indy: Bourdais sai da última posição e vence em St. Petersburg

Foto: Joe Skibinski/IndyCar

Sébastien Bourdais venceu na tarde deste domingo (12) a etapa de abertura da Verizon IndyCar Series, o Grande Prêmio de St. Petersburg, disputado no circuito montado nas ruas da cidade localizada na Florida. O francês, que largou da última posição após bater na classificação de sábado, assumiu a liderança da prova na 37ª das 110 voltas, e garantiu o triunfo no início do campeonato da Indy.

O triunfo do francês ainda representou a volta da Dale Coyne a posição mais alta do pódio. O time não conquistava uma vitória na principal categoria de Fórmula dos Estados Unidos desde o Grande Prêmio de Houstou de 2014, quando o colombiano Carlos Huertas saiu com a vitória.

A segunda colocação ficou com o também francês e atual campeão Simon Pagenaud, que mesmo com o carro da Penske, não conseguiu reduzir a diferença para Bourdais na parte final da corrida, quando ambos enfrentaram o tráfego com os retardatários. Scott Dixon, que dominou os treinos livres, levou o equipamento da Ganassi ao terceiro lugar.

Takuma Sato estreou na Andretti Autosport com a quarta colocação. O japonês chegou a postular a vitória, mas um erro na última parada nos boxes o limou da disputa. Ryan Hunter-Reay, com outro carro do time de Michael Andretti, completou a lista dos cinco primeiros após se recuperar de um forte acidente no warm-up.

Helio Castroneves fez uma corrida bastante discreta, e terminou com a sexta posição com o carro da Penske. Já Tony Kanaan apostou em uma estratégia que se mostrou errada, e terminou a corrida apenas na 12ª colocação com o carro da Ganassi.

A prova contou com duas bandeiras amarelas. A primeira foi provocada por Charlie Kimball ainda na largada, quando o americano acertou Graham Rahal e Carlos Muñoz. A segunda aconteceu após Mikhail Aleshin acertar a traseira de Tony Kanaan, deixando detritos na pista.

A temporada da Indy terá sequência no dia 9 de abril, com a realização do Grande Prêmio de Long Beach.

Confira como foi a corrida

A largada teve Will Power mantendo a primeira colocação, enquanto James Hinchcliffe superou Scott Dixon para assumir a segunda posição. Alguns metros depois, Charlie Kimball tocou o carro de Graham Rahal, que rodou na frente do pelotão. O piloto da Ganassi ainda atingiu Carlos Muñoz depois de algumas curvas, forçando a entrada do Safety Car.

Outros pilotos também tiveram problemas. Ryan Hunter-Reay, que bateu forte no warm-up, visitou os boxes, atitude seguida por Mikhail Aleshin, outro envolvido nos acidentes da largada. Com quatro voltas, alguns pilotos, entre eles Helio Castroneves, foram aos boxes já pensando em uma troca de estratégia.

A relargada aconteceu na sexta volta, e Hinchcliffe pulou para a liderança ao superar Power. Um pouco mais atrás, Tony Kanaan entrou no grupo dos cinco primeiros com uma ultrapassagem sobre Josef Newgarden. Na abertura da décima volta, Spencer Pigot apareceu em nono ao ganhar a posição de Simon Pagenaud.

Com um ritmo de corrida melhor que os rivais, Hinchcliffe passou a abrir vantagem sobre Power, mais de quatro segundos na abertura da 14ª volta. O australiano, então, foi aos boxes no giro seguinte, mas passou por cima da pistola que aperta os parafusos dos pneus, sendo punido pela direção de prova imediatamente.

Sem Power à sua frente, Dixon começou a descontar a vantagem de Hinchcliffe, derrubando-a para 2s6 na abertura da vigésima passagem. Mais atrás, Kanaan passou a ser pressionado por Newgarden, que conseguiu a ultrapassagem no giro seguinte. O brasileiro também foi superado por Pigot e por Alexander Rossi na sequência.

Sem rendimento, Kanaan visitou os boxes na 25ª volta, ação seguida por Pagenaud e Marco Andretti. Na volta à pista, porém, o baiano foi atingido por Aleshin e teve a traseira de seu carro danificada. A bandeira amarela foi acionada por conta dos detritos que ficaram na pista.

Os líderes foram aos boxes na 27ª volta, e Pagenaud, que vinha em uma estratégia diferente, assumiu a liderança da corrida, seguido por Sébastien Bourdais e Andretti. Kanaan também precisou visitar os boxes para reparar a parte traseira de seu carro. Pigot, por sua vez, teve problemas em sua parada e perdeu muito tempo. Hinchcliffe retornou da parada na décima posição.

A prova recomeçou na 31ª volta com Pagenaud mantendo a liderança, enquanto Dixon passou reto na primeira curva, perdendo muitas posições. De volta à pista, Hunter-Reay e Conor Daly se tocaram, mas a corrida prosseguiu em bandeira verde. No giro seguinte, Ed Jones, atual campeão da Indy Lights, passou por Andretti para ganhar a terceira posição.

A estratégia de Castroneves finalmente começou a dar frutos na 34ª volta, momento em que o brasileiro da Penske avançou para o quinto lugar. Na frente, Bourdais passou a pressionar Pagenaud pela liderança da corrida, conseguindo a ultrapassagem na 37ª volta com uma manobra na primeira curva.

Na 40ª volta, Castroneves passou a pressionar Andretti pela quarta posição da prova. Hinchcliffe, por sua vez, tentava recuperar terreno e já aparecia na nona posição. Mais atrás, Dixon ganhou a 13ª posição ao superar Rossi. No mesmo momento, Carlos Muñoz voltou a ficar lento na pista e foi obrigado a visitar os boxes.

Bourdais viu Pagenaud começar a diminuir a diferença para 1s1 na 45ª passagem, mas conseguiu reagir após algumas voltas mantendo a diferença em torno de um segundo. A segunda rodada de paradas nos boxes foi aberta na 49ª volta com Dixon e Kanaan. Os pilotos que lideraram as voltas iniciais, porém, mudaram de estratégia e fizeram o pit-stop na 53ª volta.

Entre os ponteiros, Jones parou nos boxes na 54ª passagem, enquanto Bourdais e Pagenaud pararam no giro seguinte. Takuma Sato herdou a liderança, onde ficou até a 58ª volta, quando também parou. No complemento da volta 60, Bourdais aparecia na liderança, seguido por Pagenaud, Power, Sato e Jones. Castroneves ocupava a sétima posição, e Kanaan a 14ª.

Mais rápido que Pagenaud, Bourdais disparou oito segundos de frente em relação ao atual campeão ao final da volta 70. Power, por sua vez, passou a ser atacado por Sato no mesmo giro. Na volta 76, Dixon passou Castroneves para assumir a sétima posição, enquanto Hunter-Reay avançou ao nono posto ao ultrapassar Hinchcliffe.

Sem que nenhum incidente ocorresse na pista, a terceira rodada de paradas nos boxes foi aberta na volta 77 com Max Chilton. Após 31 voltas com o mesmo tanque de combustível, Will Power fez seu pit-stop no giro segunte. Rossi e Kanaan fizeram o reabastecimento e a troca de pneus na volta 80, enquanto Dixon, que ficou por 32 voltas na pista, parou na 81ª passagem.

Os pit-stops seguiram na volta 82, com Hinchcliffe, Castroneves e Jones indo aos boxes. Na volta seguinte, Bourdais e Sato foram aos boxes, com o japonês enfrentando problemas em sua troca de pneus. Bourdais reabasteceu na 84ª passagem, e derrubou a diferença para o líder da prova de oito para quatro segundos.

Sem a necessidade de fazer mais uma parada nos boxes, Pagenaud seguiu cortando a vantagem de Bourdais, trazendo a diferença para 2s4 na abertura da volta 90. Na passagem seguinte, Dixon assumiu a terceira posição ao ultrapassar Power, que passou a perder muitas posições nas voltas seguintes, uma vez que precisou economizar combustível para completar a prova.

Bourdais voltou a abrir vantagem sobre Pagenaud por conta do tráfego. O representante da Dale Coyne negociou melhor as ultrapassagens sobre os retardatários e colocou quatro segundos de frente para o piloto da Penske. A prova seguiu nesta toada até o final, e o ex-piloto da Fórmula 1 pôde comemorar a vitória na abertura do campeonato.

Foto: Joe Skibinski/IndyCar



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.