Craque do futebol amazonense já disputou Copa SP com ex-Corinthians

Juninho é lateral-esquerdo do E.C Tarumã-AM, passou pelas categorias de base de times como Inter de Porto Alegre e São Paulo, jogou na Grécia e disputou o Peladão de Manaus, considerado o maior campeonato de futebol de várzea do mundo.

Natural da pequena cidade de Santa Luzia, com pouco mais de 13 mil habitantes no sul da Bahia, Alcino Souza Santos, mais conhecido por Juninho, saiu bem cedo de casa em busca do sonho de ser jogador profissional. Iniciou a carreira nas categorias de base do Campo Grande – RJ e depois rodou por diversos clubes do país. O jogador fala que passou por diversas dificuldades. “Dormia debaixo de arquibancada, no chão, é natural isso em pequenas equipes. Já no Inter-RS e no São Paulo as coisas mudaram” diz Juninho.

 

Estreia no profissional e chegada a Grécia

A estreia no futebol profissional foi com a camisa do Fernandópolis, time do interior de São Paulo. Depois disso, passou pelo Colorado – PR, até chegar ao futebol grego, em 2011, onde jogou por duas equipes: o OFI Creta e Kipoupolara. O lateral afirma que as principais dificuldades de adaptação foram o idioma e a parte tática. “No Brasil se improvisa muito, já na Grécia eles valorizam mais o coletivo e temos que nos adaptar”, comparou.

No OFI Creta encontrou outro brasuca, Chumbinho, ex-atacante do São Paulo e que estava no país há um bom tempo, tinha contrato com o Olympiacos, mas estava emprestado ao Creta. Isso facilitou um pouco mais a adaptação à Grécia. Juninho comenta que em sua época havia muitos jogadores estrangeiros disputando os campeonatos do país, principalmente do leste europeu.

A paixão do torcedor grego pelo futebol também surpreendeu o jogador. “Eles se inspiram muito nas torcidas argentinas”.

Várzea/Peladão

No amador Juninho cita com carinho dois times: Dragões da Casa Verde, time da zona norte da capital paulistana, onde teve a oportunidade de jogar com Jorge Preá, ex-Palmeiras. O outro time é o Força Jovem de Manaus, onde ele teve a honra de jogar o Peladão 2016, considerado o maior campeonato de futebol amador do mundo. “Em um torneio com quase mil times, ficamos entre os quatro primeiros e por pouco não chegamos à final”, lembra o craque. O torneio realizado na cidade de Manaus-AM está em sua 44ª edição e é disputado por quase mil times. Devido ao alto valor financeiro investido por alguns times, muitos jogadores abandonam o profissional e migram para a várzea, aonde chegam a receber entre dez e quinze mil reais para assinar com uma equipe.

foto winnetou Almeida - www.acritica.com - Juninho
Foto:winnetou Almeida – www.acritica.com – Juninho

 

Atualmente Juninho joga pelo E.C Tarumã, chegou a disputar o Torneio Inicio 2017 pelo tradicional São Raimundo, mas não chegou a um acordo e voltou ao lobo do norte. Negocia uma possível ida ao São Raimundo, de Roraima e está na expectativa de um retorno ao futebol grego na próxima janela do verão europeu.

Foto enviada por ele via zap
Foto: Reprodução

 

Conselho aos jovens

Muita disciplina e dedicação. “Treine e se esforce ao máximo que você pode, porque enquanto você descansa alguém treina para te derrotar”, aconselha o craque de Santa Luzia.

Devido às diversas dificuldades encontradas no futebol é bom ter respeito e companheirismo. Cita os momentos difíceis passado no Rio Branco de Americana, mas exalta o fato de ter disputado a Copa SP junto com Romarinho que depois foi campeão da Copa Libertadores da América e Mundial de clubes vestindo a camisa do Corinthians. “Menos de 10% dos jogadores de futebol alcançam um grande patamar, então friso sempre em não largar os estudos, pois a chance de ficar rico no futebol é pequena”, aconselha Junior.

Ficha Técnica:

Alcino Souza Santos, Juninho, começou em 2004 nas categorias de base do Campo Grande – RJ, depois passou por: São Paulo, Internacional – RS, E. C São José – SP, Elosport, onde foi campeão da segunda divisão do campeonato paulista sub-20. Seu primeiro clube profissional foi o Fernandópolis – SP, depois passou pelo Colorado – PR, OFI Creta e Kipoupolara, ambos da Grécia, e atualmente tem contrato com o Esporte Cluber Tarumã-AM.

LOGONOVO-CORNETAS-COM CORNETA-VERDE

Texto: Cléber Cunha

Curta ‘nóis’ no Facebook
Inscreva-se no nosso canal no YouTube