Agora camisa 10, Moisés fala sobre meio campo ideal do “novo Palmeiras”

Palmeiras
Foto: Divulgação/Ag. Palmeiras

Campeão Brasileiro pelo Palmeiras em 2016, o volante Moisés de 28 anos foi o ganhador do Troféu Bola de Prata e Craque do Brasileirão. Em entrevista exclusiva ao Torcedores, o camisa 10 falou sobre ser um meio-campista polivalente — apesar de ser volante de origem, o atleta pode jogar também mais avançado, em uma linha de frente. Ele respondeu também um possível meio campo ideal no Verdão.

Moisés ainda conversou sobre a venda de Gabriel Jesus para o Manchester City, sua passagem pela Croácia, os principais rivais do Verdão em 2017, a relação com o técnico Eduardo Baptista, alguns reforços para este ano, e o famoso ‘Cucabol’, jogada que marcou o time no campeonato passado.

LEIA MAIS:

ALLIANZ PARQUE DIVULGA VÍDEO DE PROTEÇÃO NO GRAMADO ANTES DOS SHOWS E RECEBE CRÍTICAS; VEJA

ALEXANDRE MATTOS VIAJA A BARCELONA PARA TENTAR SEGURAR O ZAGUEIRO MINA

  • Torcedores: Moisés, Felipe Melo e Tchê Tchê. Esse é o meio campo ideal para o Palmeiras?

“Aí tem que perguntar para o treinador e também para os torcedores. Espero estar nele (risos).”

  • Torcedores: Polivalente, qual é a posição no meio campo que você mais se sente à vontade?
“Não tenho uma posição que gosto mais. Gosto de jogar e ajudar o clube onde for preciso! Já atuei mais avançado, mais recuado, aberto numa linha mais a frente. Quero ser útil e ajudar o clube onde o treinador precisar.”
  • Torcedores: O que acrescentou ao seu futebol a passagem na Croácia?

“Acho que ganhei muito na parte tática, questão de posicionamento, disciplina, mesmo não sendo um futebol das principais ligas da Europa, acredito que evoluí muito. A Europa é uma cultura de jogo diferente e tive um aprendizado enorme por lá.”

  • Torcedores:  Você mesmo falou, em entrevista recente, que quando chegou ao Palmeiras, sabia que a torcida estava pedindo outros nomes “mais famosos”, como o Conca. Acha que o Raphael Veiga, o Hyoran, o Keno, jogadores que não têm tanta bagagem, podem aprender com seu exemplo? O que pode falar a eles? Já dá algum tipo de conselho nesse sentido a eles?

“Creio que sim, cheguei bem desacreditado, mas dei a voltar por cima dentro de campo. Isso que a torcida quer ver, boas atuações e entrega dentro das quatro linhas. O que tenho para falar com eles é para se dedicar ao máximo e encarar todo jogo como uma final.”

  • Torcedores:  Pelo que viu no começo da temporada, pelos reforços dos times, quem são os principais rivais do Palmeiras em 2017?

“Todos os adversários querem bater o Palmeiras, por tudo que fizemos no ano passado. Não vejo um principal, todos são fortes, desde os da capital aos do interior.”

  • Torcedores: No campeonato brasileiro passado o Palmeiras sem Gabriel Jesus caía de rendimento. A venda de Jesus para o Manchester City preocupa para 2017?

“Acredito que não, nosso elenco foi reforçado e temos um grupo de muita qualidade. Os jogadores que chegaram vão dar conta do recado. Gabriel é um ótimo jogador, mas a vida segue sem ele.”

  • Torcedores: A jogada pela lateral, o ‘Cucabol’, vai continuar essa temporada? O Zé Roberto usou bastante no amistoso contra a Ponte.

“Foi uma jogada que deu muito certo no ano passado. Nos ajudou em vários jogos. Agora a decisão dela continuar ou não vai partir do novo treinador.”

*Colaboraram com a matéria: Mohamed Nassif, Renan Prates, Matheus Martins Fontes, Dennys Carvalho e Matheus Henrique.