Grohe fala sobre lesões e expectativa gremista na Libertadores

Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação
Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

No início do ano, a diretoria do Grêmio anunciou que para 2017 iria apostar na continuidade da base campeã na Copa do Brasil para enfrentar os desafios, como por exemplo, a Copa Libertadores da América. Contudo, na pré-temporada, veio a primeira baixa, que foi a venda de Walace. Posteriormente, o pior dos golpes: a lesão de Douglas, que ficará afastado dos gramados por seis meses.

Com tantos problemas, o técnico Renato Portaluppi corre contra o tempo para ajustar o time antes da estreia na Copa Libertadores. Uma das apostas é a conversa com os jogadores, como revela o goleiro Marcelo Grohe.

LEIA MAIS:
GRÊMIO CORRE CONTRA O TEMPO PARA AJUSTAR TIME ANTES DA LIBERTADORES
DOS 12 GRANDES, APENAS CINCO APARECEM ENTRE OS QUE MAIS FIDELIZARAM SÓCIOS EM 2017

“O Renato conversa bastante com a gente e cobra também. Além disso, fala bastante das situações de jogo. Agora, ele tem dado atenção às lesões, pra gente ter cuidado, para que novas contusões não aconteçam. Estamos saindo da pré-temporada e o trabalho no dia-dia continua forte”, contou o arqueiro gremista em coletiva de imprensa, antes de analisar o lance que aconteceu a contusão de Douglas.

“Como foi no treino fica um sentimento que podia ser evitado. Porém, não tem como prever esse tipo de coisa, pois treinamos forte, simulando o dia de jogo”, complementou o arqueiro, que ainda comentou sobre sua expectativa para a estreia na Libertadores.

“Temos acompanhado os times brasileiros na pré-Libertadores. Acho importante este tempo que estamos tendo antes da estreia na competição, diante do Zamora, para que possamos chegar com o preparo melhor. Claro, que tem o lado da ansiedade de estrear logo, mas é importante esse maior tempo para se preparar”, finalizou Grohe.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.