“Temos um respeito maior dos adversários”, exalta destaque da seleção de handebol

Goleiro Maik fala sobre a expectativa para o Mundial de Handebol Masculino: "queremos surpreender"
Divulgação/CBHb

A Seleção Brasileira Masculina começa nesse dia 11 sua caminhada no Mundial de Handebol Masculino, na França. Logo de cara encara o time da casa, atual campeão mundial e vice olímpico. O impacto seria maior se não fosse os excelentes resultados conquistados pelo Brasil nos jogos Rio-2016 e no torneio preparatório Yellow Cup. O Torcedores.com conversou com exclusividade com o veterano Maik, goleiro da seleção com grande experiência em competições internacionais.

Às 17h45 dessa quarta-feira (11) a Seleção Brasileira estreia contra a França no Mundial de Handebol Masculino. Bastante confiante, experiente goleiro Maik avaliou os últimos resultados do Brasil em campeonatos e falou sobre a preparação, nova comissão técnica e o jovem elenco convocado pelo treinador Washington Nunes. Confira abaixo a entrevista do paredão brasileiro de 36 anos ao Torcedores.com.

LEIA MAIS:
NBA: DERRICK ROSE NÃO DÁ NOTÍCIAS E “SOME” ANTES DE JOGO DO KNICKS

TORCEDORES.COM: O quando a Yellow Cup foi importante para o grupo nessa preparação par o Mundial da França?
MAIK: Nós tivemos pouco tempo juntos treinando e os jogos que nós tivemos aqui na Suíça foi muito interessante pois conseguimos relembrar algumas ações que realizávamos na Olimpíada. Agora com atletas novos os jogos foram interessantes porque conseguimos rodar todo mundo justamente para pegar esse ritmo de jogo. Na final contra a Suíça estávamos ganhando durante o jogo todo, mas nos 5 minutos finais a gente acabou perdendo o controle e eles conseguiram abrir dois gols que não conseguimos tirar. Mas com certeza foi um jogo e um campeonato muito proveitoso. Estamos no caminho certo e com segurança para a estreia!

O grupo conta com diversos jogadores experientes que estiveram na Rio-2016 e com alguns outros jovens que já estiveram nas seleções de base. Qual a importância dessa mescla?
Mostra já uma mudança e uma continuidade na renovação. Alguns atletas muito talentosos já estão jogando na Europa e estão fazendo parte desse mundial pela primeira vez, então para eles é uma experiência muito boa, eles querem estar na seleção e contribuir com a evolução do Brasil. Com a experiência na Rio-2016 conseguimos nosso melhor resultado jogando em casa, então esse mundial nos dá uma noção de como o nosso trabalho vai continuar evoluindo. A importância então é de tranquilizar quem está chegando e que eles possam aproveitar o momento de estar na seleção pra tentar fazer história nesse mundial.

Após o sucesso de Jordi Ribera, Washington é o novo comandante da equipe. O que ele traz de novo e o que ele mantém dos tempo de assistente do Espanhol?
Na verdade ele tem a mesma filosofia, os mesmos métodos de trabalho. Edição de vídeos, treinamentos intensos, e ele tem a visão dele como treinador colocando sua experiência dentro de quadra. Não mudou praticamente nada, é o mesmo trabalho, o mesmo empenho de todos os atletas e da comissão técnica pra que a gente possa alcançar objetivos maiores. Então realmente a pessoa certa para estar comandando nesse mundial seria ele, pela continuidade do trabalho que o Jordi fez ao longo dos anos e ele que fez parte de toda essa evolução. Considero muito merecida a chance dada ao Washington como treinador da equipe nesse mundial de handebol

Você é o jogador mais velho dessa seleção e participou de quase toda a evolução do nosso handebol. Acredita que estamos perto do nosso auge?
Eu passei por algumas gerações que antigamente perdiam de 20 gols de diferença quando vinha jogar aqui na Europa e agora estou com essa geração que joga de igual pra igual, podendo ganhar no último minuto. Como o Brasil evoluiu, as outras equipes também estão evoluindo, sempre numa crescente. A gente precisa mostrar que está entre os melhores e que estamos jogando contra os europeus e conquistando vitórias importantes. Temos um respeito maior dos adversários que com certeza vão nos enfrentar com muito cuidado. Eles sabem como somos guerreiros dedicados e o quanto lutamos por uma vitória. Então esse mundial é a oportunidade de continuar evoluindo e conquistar o objetivo que é a classificação. Depois disso, pensamos no que vem pela frente.

Depois de bons resultados contra seleções europeias na Olimpíada e na Yellow Cup, podemos sonhar alto? O objetivo é o título do mundial de handebol, como o feminino em 2013?
Eu sempre tive um sonho de criança, imaginava ser campeão mundial, campeão olímpico. Mas a realidade é outra, temos que trabalhar e mudar essa história, construir a nossa. Hoje o Brasil tem o respeito que tem devido a competitividade que adquiriu vencendo grandes seleções, como Polônia e Alemanha na olimpíada. Jogamos de igual pra igual com a França nas quartas de final a ponto de quase beliscar uma vitória. O objetivo maior é o próximo jogo, um dia de cada vez. Temos que pensar primeiro na França, depois no próximo adversário. Mas vamos nos dedicar ao máximo para surpreender, esse é o meu pensamento, de chegar numa classificação para depois sonhar com conquistas inéditas. Não dá pra falar em título mundial por ser uma equipe muito nova, mas sabemos que podemos surpreender aqui nesse mundial.

O Torcedores.com deseja a você e a todos os guerreiros sucesso no Mundial. Estamos na torcida, boa sorte!
Obrigado ao Torcedores.com pela torcida e pela mensagem positiva! Estaremos aqui defendendo as cores do Brasil com muita raça, muita luta e dedicação, sonhando com objetivos maiores de uma classificação inédita para o Brasil. Um grande abraço a todos!



Jornalista formado pela USCS, apaixonado por esportes, cultura e comunicação. Ex-atleta em atividade, pensa que sabe algo sobre futebol, handebol e esportes americanos.