O Dallas Mavericks de 2011, veja como foi essa campanha

.jpg

Não muito conhecida no Brasil, há uma expressão recente no mundo da NBA: “become the 2011 Dallas” (Se tornar o Dallas de 2011). Mas o que é isso?

Claro, é sabido que os Dallas Mavericks ganharam seu primeiro título da NBA na temporada 2010-11. De maneira simples, a expressão quer dizer “um time que se embala durante os playoffs”.

LEIA MAIS:
BRASIL PODE TER NOVA CONFEDERAÇÃO DE BASQUETE, DIZ BLOG
“DISASTER DRAFT”: VOCÊ SABE O QUE É?

O Dallas de 2010-11 tem uma história inspiradora. Mark Cuban, dono do time, apostou numa legião de medalhões que nunca tinham ganhado um título da NBA: Junto do mítico Dirk Nowitzki, estavam medalhões como Shawn Marion, Jason Kidd, o calibrado Peja Stojaković, e o “maluco” do Jason Terry (assim como os Mavericks, Terry nunca havia sido campeão. Antes do início de tal temporada, Terry tatuou o troféu da NBA na parte de dentro do bíceps e acabou profeticamente se sagrando campeão. Tentou repetir o feito duas temporadas depois, quando jogava pelos Celtics. Mas nessa oportunidades ele perdeu.

Os Mavericks fizeram boa temporada e se classificaram em 3º lugar do lado oeste, com 57 vitórias e 25 derrotas. O primeiro colocado foi o San Antonio Spurs (61-21), seguido dos últimos campeões, Los Angeles Lakers (também com 57-25).
Na primeira rodada dos playoffs, passaram sem grandes dificuldades pelo time de Portland, os Trail Blazers, que contavam com LaMarcus Aldridge e Patty Mills (ambos nos Spurs hoje), além de Andre Miller e Marcus Camby.

Na rodada seguinte, nas semi-finais de conferência, foi quando o time se embalou e varreram os atuais campeões, os Lakers, comandados por Kobe Bryant, contando ainda com seu parceiro Pau Gasol: 4-0. O lendário técnico dos Lakers na época, Phil Jackson, nunca tinha sido varrido de uma série de playoffs.

Avassaladores, os Mavericks seguiram para as finais de conferência. Se tivesse dado a lógica, pegariam os Spurs, contando com Tony Parker, Manu Ginóbili, Tim Duncan, Richard Jefferson, Matt Boner e também com o brasileiro Tiago Splitter. O time de San Antonio, no entanto decepcionou e foi eliminado pelos Grizzlies, 8º colocado do Oeste, logo na primeira rodada do playoff: 2-4. Os Grizzlies perderam na rodada seguinte para o Oklahoma City Thunder (OKC), 3-4.

O time de OKC contavam com os inexperientes e promissores Russel Westbrook, James Harden, Kevin Durant e Serge Ibaka. Passaram pelos time de Denver e Memphis para enfrentar o embalado Dallas Mavericks na final do Oeste.
Nowitzki, brilhante, anotou 48 pontos logo no primeiro jogo e liderou o time para quase varrerem o time de OKC: 4-1. Nessa série, o alemão teve uma média de 32,2 pontos por partida. O armador Jason Kidd foi o líder de assistência em todos os jogos, com uma média de 8,6 assistências por jogo.

A épica final mexeu com o mundo inteiro. A equipe de Dallas, surpreendentemente, chegara à final. A parada seria dura, contra o Miami Heat.

Era o primeiro ano de Lebron James no time da Flórida, junto de Dwyane Wade e Chris Bosh. O badalado time havia chegado facilmente às finais, vencendo os 76ers, Celtics e os Bulls, todos por 4-1, sem perder um jogo em casa sequer. Wade, que já havia sido campeão junto de Shaquile O’neal pelo Heat, disputava a liderança com o monstro Lebron James, que nunca havia sido campeão.

No primeiro jogo, os Mavericks estavam melhor no primeiro tempo e vinham vencendo o jogo por 8 pontos no início do 3º quarto.

Lebron e cia, no entanto, acordaram e fizeram uma sequência de 22-0, tomando a liderança para o último período. Nos minutos finais do jogo, Nowitzki ainda machucou seu dedo e jogou com uma proteção. Ao final, liderados por James e Wade, o time de Miami venceu por 92-84 jogando em casa.

No segundo jogo, também em Miami, Nowitzki foi decisivo. A menos de 30 segundos do final do jogo, empatados em 90, o alemão acertou uma bola de 3 pontos. No lance seguinte, Jason Terry acabou deixando Mario Chalmers livre para também acertar uma bola de 3, aflorando os nervos de todos.

No lance final, uma das cenas mais lindas da história das finais da NBA: bola na mão do astro dos Mavericks, marcado por Chris Bosh. Recebeu na linha dos três, girou em cima do marcador e fez uma bandeja com a mão esquerda machucada, colocando seu time a frente a 3,6 segundos para o final do jogo e ganhando o jogo por 95-93, conseguindo uma enorme vantagem ao ganhar um jogo fora de casa. O lance é esse: https://www.youtube.com/watch?v=9k4Li-iT8QU

No jogo 3, porém, os Mavericks perderam a chance de tomar a liderança da série. Nos segundos finais, Bosh acertou um arremesso, colocando o time na frente: 88-86. No estouro do cronômetro, Nowitzki tentou empatar, mas errou o arremesso. Miami liderava por 2-1.

No jogo 4, Nowitzki novamente decidiu a favor dos Mavs. Com 14.4 segundos faltando, o alemão aumentou a vantagem do time para 3 pontos. Depois de uma enterrada de Wade e dois lances livres convertidos por Jason Terry, no último ataque, o Heat, afobado, quase perdeu a bola e sobrou para Mike Miller tentar o arremesso dos 3: não deu nem aro.
O astro de Dallas, Dirk, que tinha decidido o jogo novamente, estava com 38 graus de febre.

Os jogos 5 (112-203) e 6 (105-95) foram apertados, mas mais tranquilos. E o time de Dallas se sagrou campeão da NBA pela primeira vez.

E foi aí que a expressão “ser o Dallas Mavericks de 2011” surgiu.