Retrospectiva: relembre todas as medalhas do Brasil na Rio 2016

Cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016 Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016 Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 foi o maior evento esportivo realizado no ano, e como aconteceu aqui, pertinho de todos os brasileiros, vêm deixando saudades em todos os amantes do esporte. O Brasil fez história com conquistas importantes e inéditas para o país, e por isso, o Torcedores.com separou todas as medalhas vencidas pela nossa equipe verde e amarela para você relembrar. Confira:

OURO

Thiago Braz medalha de ouro no salto com vara. Foto: Francisco Medeiros/ ME
Thiago Braz medalha de ouro no salto com vara. Foto: Francisco Medeiros/ ME

Atletismo: A única medalha para o Brasil nesta modalidade foi a dourada conquistada no salto com vara, por Thiago Braz. O salto de 6,03m dia 15 de agosto, no Engenhão, foi o melhor do ano, superando o francês Renaud Lavillenie, medalha de prata, com direito a recorde olímpico e sexto melhor de todos os tempos.

Boxe: O baiano Robson Conceição subiu ao lugar mais alto do pódio depois de vencer o também francês, Sofiane Oumiha, pela categoria pesos leves (até 60 kg). Antes de se tornar medalhista olímpico em casa, já havia passado por duas frustrações em Pequim e Londres, quando foi eliminado ainda na primeira fase.

Futebol: Todas as medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos foram importantes, mas talvez essa tenha sido a com o gostinho mais especial. A única conquista que faltava para completar a galeria vitoriosa do futebol masculino veio em casa, de frente para a nossa torcida.

Foto: Ministério do Esporte
Foto: Ministério do Esporte

Com Weverton, Neymar, Gabriel Jesus e companhia, a seleção fez bonito durante a competição com uma vitória e dois empates na primeira fase, sobre Dinamarca, Iraque e África do Sul, respectivamente. E após uma vitória sobre a Colômbia, nas quartas, Honduras, nas semis e o empate com a Alemanha, decidido nos pênaltis, os meninos deram o título inédito para o país. Veja os melhores momentos da final!

Judô: Rafaela Silva, mulher negra e pobre, nascida na Cidade de Deus, Rio de Janeiro, emocionou o país com sua história e ao conquistar o 1º ouro do Brasil nas Olimpíadas. Aplicando um wasari, Rafaela derrotou a atleta da Mongólia, Sumiya Dorjsuren pela categoria pesos leves (até 57 kg).

A judoca Rafaela Silva é medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio 2016 Foto: Roberto Castro/ Brasil2016
A judoca Rafaela Silva é medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio 2016
Foto: Roberto Castro/ Brasil2016

Vela: A estreante em Jogos Olímpicos e filha do campeão Torben Grael, Martine Grael fez dupla com Kahena Kunze na conquista da medalha de ouro na vela. Alex Maloney e Molly Meech, da Nova Zelândia ficaram com a prata e, Jena Hansen e Katja Iversen, da Dinamarca, com o bronze.

Brasil vence a Itália por 3 sets a 0 e fica com o ouro Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Brasil vence a Itália por 3 sets a 0 e fica com o ouro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Vôlei: Foi suado. Foi sofrido. Mas o time comandado por Bernardinho conseguiu crescer ao longo da competição, e ser protagonista do grande espetáculo que foi a final entre Brasil x Itália, vencida por 3×0, com parciais de 25/22, 28/26 e 26/24. A seleção estava próxima da eliminação ainda na primeira fase, mas com uma boa vitória em cima da França por 3×1, a esperança do sonho ressurgiu. Após dois vices consecutivos (2008 – 2012), a equipe masculina se tornou tricampeã olímpica (1992 – 2004 – 2016).

Vôlei de praia: Alegria nas quadras. Alegria também nas areias de Copacabana. Em uma bela disputa, Alisson Cerutti e Bruno Schmidt conquistaram a medalha de ouro para o Brasil 12 anos após Ricardo e Emanuel vencerem em Atenas. O placar ficou 2×0, com parciais de 21/19 e 21/17. A dupla italiana, Daniele Lupo e Paolo Nicolai ficaram com a prata. O bronze foi para os holandeses, Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen.

PRATA

Canoagem: Talvez um dos esportes que mais deu alegrias para a torcida brasileira, apesar do ouro não ter vindo. O baiano Isaquias Queiroz surgiu como um dos favoritos para levar medalha. E ela veio. Ou melhor, “elas” vieram. Na prova individual masculina, de 1000m ele ficou logo atrás do alemão Sebastian Brendel, e à frente de Serghei Tarnovschi, da República da Mongólia, e levou a prata pra casa. E pela categoria C2 (duplas), Isaquias contou com a parceria do também baiano, Erlon Silva, para ganhar mais uma medalha. O ouro foi para a dupla alemã, Sebastian Brendel e Jan Vandrey, e o bronze para os ucranianos, Dmytro Ianchuk e Taras Mishchuk.

Ginástica artística: Após duas quedas seguidas no solo, em Pequim e Londres, Diego Hypolito deu a volta por cima e conquistou a prata no seu país, e já prometeu ir forte para Tóquio em 2020. E o campeão olímpico nas argolas em Londres, Arthur Zanetti veio para defender o seu posto, mas acabou perdendo o ouro para o grego Eleftherios Petrounias.

Tiro esportivo: A primeira medalha para o país nos Jogos veio logo no segundo dia de competição, com o paulista Felipe Wu, na prova de pistola de ar 10m masculino, em um esporte que não costuma ser de muita tradição brasileira.

Vôlei de praia: As meninas Agatha e Barbara também conseguiram seu lugar no pódio, depois de serem derrotadas na final pelas alemãs Laura Ludwig e Kira WALKENHORST, por 2×0.

BRONZE

Canoagem: Além das duas pratas conquistadas nas provas de 1000m, Isaquias Queiroz levou também um bronze na prova Canoa indivual 200m. Com as três medalhas no peito, ele se tornou o atleta brasileiro a chegar mais vezes no pódio em uma mesma Olimpíada, uma marca e tanto para quem disputou os primeiros jogos olímpicos este ano.

Isaquias Queiroz é bronze na canoagem 200m Foto: Roberto Castro/ Brasil2016
Isaquias Queiroz é bronze na canoagem 200m
Foto: Roberto Castro/ Brasil2016

Ginastica artística: Na mesma prova em que Diego Hypolito levou a prata, Arthur Mariano conseguiu garantir o terceiro lugar, e dar ao Brasil uma dobradinha no pódio do solo masculino.

Judô: Mayra Aguiar repetiu o feito de Londres, em 2012, e ganhou o bronze pela categoria até 78 kg. Outro que recebeu medalha foi Rafael Silva, entre os competidores acima de 100 kg.

Maratonas aquáticas: A nadadora Poliana Okimoto passou da tristeza à alegria em poucos minutos, após completar a prova de 10 km feminina. Tendo cruzado a linha de chegada em 4º, Poliana só recebeu a notícia que havia ficado com o bronze bem depois, devido a desclassificação da francesa Aurelie Muller, que chegara em terceiro.

Foto: Francisco Medeiros/ME
Foto: Francisco Medeiros/ME

Taekwondo: E a 19ª medalha do Brasil nos Jogos do Rio foi conquistada por Maicon Siqueira, mineiro, de 23 anos. O atleta derrotou o britânico Mahama Cho, na prova acima de 80 kg, e se tornou o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha pelo taekwondo masculino.

 

 

 

 

VEJA TAMBÉM:

RELEMBRE 5 JOGADORES QUE DEIXARAM A TORCIDA DO SÃO PAULO FELIZ EM 2016



Paulistano, 20 anos. Estudante de Comunicação Social-Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.