Lateral é um dos setores mais disputados no Cruzeiro

Cruzeiro/Divulgação
Cruzeiro/Divulgação

O Cruzeiro foi ao mercado da bola e trouxe jogadores pontuais para reforçar alguns setores da equipe. Contudo, para a lateral chegou apenas Diogo Barbosa, que na última temporada esteve no Botafogo e fez um ótimo Brasileirão. Não é segredo que em 2016 a torcida celeste cobrou bastante dos atletas desta posição, inclusive, foi justamente pela lateral que a Raposa sofreu a maioria dos gols na temporada.

Antes, a direita era ocupada por Lucas, que nem de longe agradou. Sempre perdido em campo, o jogador foi muito criticado. Já Ezequiel, apesar de não ter caído nas graças do torcedor, jogou seu “arroz com feijão”, mas mesmo assim precisa evoluir bastante para ser titular. A grande esperança no momento está em Mayke, retornando de contusão e caso consiga voltar a jogar bem, tem tudo para assumir a titularidade.

LEIA MAIS:

REDE GLOBO VETA ESTÁDIO E LOCAL DE JOGO DO MINEIRO É ADIADO
ANÁLISE DO ELENCO: CONTRATAÇÕES PONTUAIS PODEM SER A CHAVE DO SUCESSO NO CRUZEIRO

Na temporada passada, o atleta até voltou a ser absoluto na direita, mas uma nova contusão o deixou no estaleiro pelo resto do ano e por isso, Mayke disputou apenas 14 duelos em todo o ano do Cruzeiro.

“Temos expectativa com o Mayke e queremos que ele volte a jogar o futebol que tinha. Vem treinando normalmente, é o primeiro passo para criar essa expectativa”, revelou Mano Menezes na primeira coletiva de imprensa do ano.

Já pela esquerda, o comandante celeste terá à disposição, Edimar, que também precisa adquirir uma certa evolução, o jovem Bryan, que depois de oscilar conseguiu se manter firme na última parte do Brasileiro, além do recém-chegado Diogo Barbosa, que foi indicado por Mano.

“Podemos melhorar Edimar, que está no segundo ano, chegou na metade da temporada passada. Podemos melhorar o Bryan, menino que veio do América. Não podemos abandonar um porque chegou outro, que também pode ter dificuldades”, analisou o treinador celeste, mostrando que existe uma grande disputa pela posição.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.