Efeito Rafaela Silva: cinco meses após ouro, Instituto Reação tem fila na lista de espera

Os judocas Flávio Canto (E) e Rafaela Silva (D), com o ex-judoca e lutador de MMA Léo Leite (C) (Foto: Karoline Rodrigues/Torcedores.com)
Os judocas Flávio Canto (E) e Rafaela Silva (D), com o ex-judoca e lutador de MMA Léo Leite (C) (Foto: Karoline Rodrigues/Torcedores.com)

Há exatos cinco meses, Rafaela Silva conquistava o primeiro ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Carioca da Cidade de Deus e saída de um projeto social na comunidade, a judoca foi responsável por um boom nas inscrições do Instituto Reação. Em entrevista exclusiva à reportagem do Torcedores.com, Flávio Canto contou que o projeto está com fila na lista de espera.

LEIA MAIS

Cinco meses após ouro olímpico, Rafaela Silva diz que a ficha ainda está caindo

“A gente (Instituto Reação) está com fila na lista de espera em quase todos os polos, tem uma demanda cada vez maior de alunos querendo fazer judô. A gente está vivendo um momento muito mágico de um ano legal para caramba”, afirma o medalhista olímpico em Atenas 2004.

Criado por Flávio Canto em 2003, o Instituto Reação foi o responsável por revelar Rafaela Silva e sua irmã Raquel, tricampeã do Campeonato Pan-Americano de Judô. O projeto social está presente em cinco comunidades diferentes (Rocinha, Cidade de Deus, Tubiacanga, Pequena Cruzada e Deodoro) e tem como objetivo  promover o desenvolvimento humano e a inclusão social por meio do judô. Nascida e criada na Cidade de Deus, a poucos quilômetros do Parque Olímpico, a campeã mundial e olímpica serve como exemplo para as crianças e adolescentes que precisam vencer, além de seus adversários do tatame, as dificuldades e desconfianças da vida.

“Essa medalha da Rafaela, simbolicamente, é muito forte, muito poderosa. A gente já está há 16 anos nessa luta lá com a garotada e a ideia é mostrar que eles podem ser mais do que eles imaginam que podem ser. Então quando você tem uma atleta que cresceu do lado deles em condições parecidas, chegando no topo do mundo, acho que é a melhor resposta que a gente dá pra essas dúvidas que eles às vezes têm: ‘será que a gente pode chegar lá? Será que a gente pode sonhar tão grande?’. Então, a Rafaela é um exemplo de que nada é impossível e pra eles, isso tem um efeito maravilhoso”, comemora Flávio Canto.

Vale lembrar que, após vencer Bethe Correa no UFC 190, Ronda Rousey visitou o projeto e deixou seu cinturão de presente para servir de inspiração. E quem sabe, dos tatames do Instituto Reação, não surgem novos campeões olímpicos ou do UFC?