Chapa de Mustafá oficializa candidatura de ‘casal Crefisa’ ao Conselho do Palmeiras

Foto: Reprodução/Facebook Crefisa
Foto: Reprodução/Facebook Crefisa

Na manhã desta quarta-feira, Mustafá Contursi, ex-presidente do Palmeiras e uma das vozes mais influentes no ambiente interno do clube, entregou na secretaria a sua lista de candidatos à eleição do Conselho Deliberativo, marcada para o dia 11 de fevereiro.

Sua chapa, “Palmeiras Forte”, que contém o maior número de conselheiros no clube, tem como destaques as candidaturas da empresária Leila Pereira e de seu marido José Roberto Lamacchia, donos da Crefisa, patrocinador máster do Verdão. A informação procede de reportagem do jornal “Folha de S. Paulo”.

LEIA TAMBÉM:
Você sabia? Novo reforço do Palmeiras já foi herói de título do Corinthians na Copinha
“Palmeiras é um dos verdadeiros parceiros da Chapecoense”, elogia Rafael Henzel
Confirmada renovação, Palmeiras e Crefisa têm Pratto como Plano A e montam estratégia
Mercado da Bola: Palmeiras avança em negociação e deve fechar com Willian Bigode

O interesse de Mustafá na possível nomeação do “casal Crefisa” ao Conselho é claro – eles são vistos pelo grupo como os puxadores de votos, ou seja, como a eleição é proporcional, então o elevado número de votos que Leila e Beto receberiam iriam auxiliar na nomeação de outros membros da chapa.

Outro ponto é que, caso o casal seja eleito, a expectativa em torno da renovação de contrato da Crefisa com o Palmeiras se tornará algo concreto. Vale lembrar que, desde 2015, a empresa depositou mais de R$ 200 milhões nos cofres do clube, incluindo valores anuais e aquisição de jogadores, como Lucas Barrios, Vitor Hugo, Guerra e Dudu.

Desde o final do ano passado, é público que Leila Pereira quer entrar para o Conselho Deliberativo do Palmeiras. O problema é que o ex-presidente Paulo Nobre não concordou com a candidatura, pois entende que a empresária é associada do Verdão há pouco mais de um ano – para ser eleito, o candidato deve ser sócio palmeirense por, pelo menos, oito anos.

Diante disso, Mustafá veio a público criticar o ex-mandatário enfatizando que, em 1996, agraciou a dona da Crefisa com um título de sócia e que assim ela estaria apta a se candidatar. Lamacchia é uma espécie de “Plano B” da chapa “Palmeiras Forte”, já que é sócio do Palmeiras desde 1955 e sua inscrição totalmente legal.

O novo presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, ainda vai analisar a validade da candidatura de Leila (Mustafá protocolou um pedido de reconsideração), mas caso mantiver a decisão do seu antecessor, Lamacchia sairia como candidato e se certificaria de que o casal teria uma cadeira no Conselho.

A saia justa que Galiotte se meteu não é nada agradável – de um lado, o amigo e eterno apoiador Paulo Nobre; do outro, Mustafá com sua influência de sempre no clube; do outro, Leila Pereira e José Roberto Lamacchia, exatamente o elo mais importante para contratações de peso como a de Miguel Borja e Lucas Pratto, nomes tão pedidos pela torcida.

Vale lembrar que é possível fazer modificação na relação de inscritos até o dia 26 de janeiro. Nesta eleição, serão escolhidos 76 conselheiros e 15 suplentes para um mandato de quatro anos.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.