Brasil tem três representantes no qualifying do Australian Open; confira

Australian Open
Divulgação

Primeiro Grand Slam da temporada, o Australian Open 2017 começa na madrugada desta quarta-feira para o Brasil. Três tenistas do país verde-amarelo disputam o torneio qualificatório em Melbourne. Ao todo são necessárias três vitórias para os jogadores entrarem na chave principal composta por 128 atletas que começa na próxima segunda-feira.

LEIA TAMBÉM:
RETROSPECTIVA: Veja os principais fatos que marcaram o tênis em 2016

No masculino, representarão o Brasil João Souza, o Feijão, André Ghem e Guilherme Clezar. Os três estreiam já nesta madrugada com direito a um confronto caseiro. Cabeça 9 do qualifying, Feijão, atual 121º do ranking, tem pela frente o conterrâneo Ghem, 219º do mundo.

Feijão já disputou chave do Australian Open por duas vezes. Foto: CBT
Feijão já disputou chave do Australian Open por duas vezes. Foto: CBT

Se depender do retrospecto direto, o favorito é Ghem, que venceu os dois últimos duelos e soma quatro vitórias e apenas duas derrotas contra Feijão, que já jogou a chave do Aberto da Austrália em duas oportunidades – em 2012 e 2015, quando caiu logo na primeira rodada.

Quem vencer do confronto tupiniquim enfrenta o melhor do duelo entre o japonês Yuya Kibi e o norte-americano Brian Baker. Numa possível última rodada, o italiano Thomas Fabbiano, cabeça 31, é o mais cotado a pintar pelo caminho.

Já Clezar, número 226 do ranking ATP, abre campanha diante do croata Kristijan Mesaros, atual 244º do mundo. Se passar da estreia, o gaúcho enfrenta o sérvio Nikola Milojevic ou o francês Julien Benneteau, cabeça 26.

Vale lembrar que o Brasil já tem três jogadores na chave principal masculina de simples – os paulistas Thomaz Bellucci (62º) e Rogério Dutra Silva (96º) e o cearense Thiago Monteiro (83º), esse último que irá estrear nos quatro principais torneios do circuito. A chave feminina do qualifying será sorteada nesta quarta e terá Teliana Pereira e Paula Gonçalves na disputa.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.