Após 16 anos Bernardinho deixa o comando da seleção masculina de vôlei

Bernardinho
Foto: Confederação Brasileira de Vôlei

O técnico Bernardinho não é mais o treinador da seleção masculina de vôlei após 16 anos no cargo. O anúncio foi realizado em entrevista coletiva na sede da Confederação Brasileira de Vôlei, nesta quarta-feira, por Radamés Lattari, na sede da entidade, no Rio de Janeiro. Ainda na entrevista foi divulgado o nome do ex-jogador Renan Dal Zotto como novo treinador da equipe nacional.

Bernardinho iniciou seu trabalho a frente da seleção masculina em 2001 e conquistou todos os títulos possíveis com a camisa verde-amarela. Entre eles três campeonatos mundiais nos anos de 2002, 2006 e 2010, e dois ouros olímpicos, Atenas 2002 e Rio 2016. Sua continuidade como treinador da seleção ficou questionada desde a conquista do ouro olímpico.

LEIA MAIS:

CBV DIVULGARÁ FUTURO DE BERNARDINHO NA SELEÇÃO MASCULINA DE VÔLEI NESTA QUARTA

De acordo com Radamés Lattari, a CBV deu o tempo determinado para o treinador pensar no assunto. No entanto, antes mesmo das festas de finais de ano o técnico entrou em contato com a direção da entidade e abriu mão do cargo. O diretor chegou a oferecer outros cargos para Bernardinho, que aceitou ser o coordenador técnico do time de Renan Dal Zotto.

Em recentes entrevistas o treinador se esquivou de responder as questões sobre a seleção masculina. O filho de Bernardinho Bruno chegou a comentar que o pai deveria escolher entre treinar o time feminino do Rexona Sesc e a equipe nacional. Recentemente Bernardo chegou a citar problemas familiares em caso de não renovar o contrato com a CBV.

Foto: Confederação Brasileira de Vôlei