Relembre como foi o ano nas categorias de base do automobilismo

Foto: Zak Mauger/GP2
Foto: Zak Mauger/GP2

As categorias de base do automobilismo mundial tiveram campeonatos bastante disputados na temporada 2016. GP2 e GP3 conheceram seus campeões apenas na última etapa da temporada, enquanto a Fórmula 3 Europeia viu seu campeão conquistar um lugar no grid da Fórmula 1 para 2017.

Pierre Gasly e Antonio Giovinazzi, companheiros na equipe Prema, comandaram o campeonato da GP2, e foram os dois únicos pilotos que chegaram com chances de título na última etapa. No final, o francês, ligado à Academia de Pilotos da Red Bull, saiu campeão. Mesmo com quatro vitórias, uma a menos que o italiano, Gasly saiu com o título, superando o rival em oito pontos.

Parelho também foi a definição do título da GP3 neste ano. Charles Leclerc, piloto monegasco da Academia da Ferrari, faturou o título na primeira corrida da etapa final da temporada, em Abu Dhabi. O piloto duelou com Alexander Albon, que teve que se contentar com o vice-campeonato, enquanto Antonio Fuoco foi o terceiro colocado.

Na Fórmula 3 Europeia, porém, Lance Stroll foi absoluto. O piloto, filho do multimilionário Lawrence Stroll, dono da Prema Powerteam, venceu 13 das 30 corridas do ano, faturando o título na penúltima etapa do ano, em Ímola. Maximilian Günther e George Russell fecharam o grupo dos três primeiros na tabela de pontos.

Leist salva ano dos brasileiros na base

Matheus Leist faturou o título da F3 Inglesa. (Foto: Jacob Ebrey)
Matheus Leist faturou o título da F3 Inglesa. (Foto: Jacob Ebrey)

Em uma temporada com poucos brasileiros nas categorias de base, Matheus Leist conseguiu o título da repaginada Fórmula 3 Inglesa. Em um duelo ferrenho com Ricky Collard, o brasileiro tomou a liderança do campeonato com uma vitória na primeira corrida da rodada tripla final do campeonato, disputada em Donington Park, e faturou seu primeiro título no automobilismo. Na mesma categoria, Enzo Bortoleto terminou o campeonato em 11º.

Campeão da MRF Challenge no início do ano, Pietro Fittipaldi teve ano discreto na Fórmula V8, terminando na décima colocação na tabela de pontos, enquanto Vitor Baptista, campeão da EuroFormula Open em 2015, foi o 12º. O campeonato foi vencido por Tom Dillmann, que bateu Louis Delétraz na última corrida do ano, em Barcelona.

Voltando à F3 Europeia, Sérgio Sette Câmara teve um ano discreto, e terminou o campeonato na 11ª colocação. O mineiro, porém, garantiu uma vaga na GP2 após faturar o terceiro lugar no GP de Macau, quando ficou atrás apenas de Antonio Félix da Costa e Felix Rosenqvist. Pedro Piquet terminou o campeonato europeu na 19ª posição, e foi sexto na ex-colônia portuguesa na China.

A próxima temporada promete ser mais pródiga para os brasileiros no exterior. As atenções se voltarão a Câmara, na GP2, e Fittipaldi, na Fórmula V8. Leist correrá na GP3, enquanto Piquet seguirá na F3 Europeia. Já a EuroFormula Open (antiga F3 Espanhola), contará com uma invasão brasileira. Matheus Iorio, Carlos Cunha Filho, Christian Hahn, Thiago Vivacqua e Pedro Cardoso – todos integrantes do grid da F3 Brasil neste ano – disputarão o torneio.

Fotos: divulgação



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.