Novo presidente da Liga Nacional de Basquete quer ver clubes crescerem

crédito: reprodução LNB
crédito: reprodução LNB

João Fernando Rossi foi eleito para presidir a Liga Nacional de Basquete (LNB) entre 2017 e 2018, Membro da gestão passada no cargo de vice-presidente, João foi um dos responsáveis pela boa fase vivida pela LNB, atualmente com patrocinadores fortes e bons contratos televisivos. Em entrevista exclusiva ao jornal Lance!, o novo comandante da principal liga de basquete do Brasil falou sobre o futuro e também pela atual crise vivida pela Confederação Brasileira de  Basquete (CBB).

LEIA MAIS:
CHAPECOENSE AGRADE HOMENAGEM NO COUTO PEREIRA
MISSA DE SÉTIMO DIA REÚNE 2 MIL PESSOAS EM CHAPECÓ

 

O novo presidente adotou como maior prioridade o fortalecimento dos clubes nacionais. João Fernandes também declarou que manter as parcerias captadas também será de fundamental importância. Atualmente, a LNB tem parcerias firmadas com empresas como Caixa, Avianca e Sky, Rede TV, Bandeirantes e também com a NBA.

“Nós contratamos o Instituto Aquila para fazer um diagnóstico nos clubes olhando para comunicação, marketing e comercial. Agora, a sequência é a ação em cima deste diagnóstico. O Instituto passou quatro meses visitando os clubes. Se você verificar, podemos dividir os clubes do NBB em clubes sociais, associações e clubes de futebol. Cada um tem sua identidade. A Liga vai procurar ajudar respeitando isso”, declarou o presidente sobre como pretende realizar o processo de fortalecimento dos clubes.
O novo presidente também comentou sobre a atual crise vivida pela Confederação Brasileira de Basquete, punida recentemente pela Federação Internacional da modalidade (FIBA) com uma suspensão de torneios internacionais. João Fernandes ressaltou que as entidades são independentes e se declarou incomodado com a situação: “O que nos chateia é estar fazendo um ótimo trabalho, com patrocínio de multinacionais e investimento de clubes, e sermos punidos indiretamente. Temos três clubes que ganharam na quadra o direito de disputar a Liga das Américas, com grandes chances de termos um campeão. Acho que vira uma coisa sem fundamento. Como festejar um título sem enfrentar os brasileiros?”.

Ainda sobre a crise, o novo presidente da LNB comentou sobre a situação do basquete feminino, modalidade que deve foi indicada para ser priorizada pela FIBA. “O feminino está em situação difícil. Se não estivessem dentro da LNB, já tinha acabado. O trabalho é maior até do que quando criamos o masculino. Temos experiência, credibilidade, estamos ajudando com patrocinadores e tentando captar outros, mas essa esfera está longe da formação, da base, dos clubes de todo o país. É um trabalho de médio e longo prazo”, declarou João.

Você pode ver a entrevista completa do novo presidente da LNB clicando aqui



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.