Davi Teixeira está na Califórnia para disputar o mundial de surf adaptado

davizinho12

Às vezes, as pessoas não fazem ideia do que um simples gesto de carinho e solidariedade pode causar na vida do próximo. E foi assim, com um simples gesto de presentear uma criança na praia com uma prancha de surf que o surfista e comerciante carioca Alex Souto mudou a vida do jovem Davi Teixeira de Aguiar, mais conhecido como Davizinho ou Davizinho Radical. Na época com 9 anos de idade

O simples presente não só realizou o sonho de uma criança de surfar como também fez nascer um futuro campeão mundial de surf.

LEIA MAIS:
Brasileiros garantem vaga para a elite do surf mundial em 2017

Exatamente, com apenas pouco mais de dois anos de surf, Davizinho já é vice-campeão mundial de surf adaptado e acumula outros resultados surpreendentes na modalidade.

“Sempre tive muita vontade de surfar e um dia eu estava na praia e um surfista me deu a prancha dele. Foi um dia maravilhoso. Dali pra frente não parei mais de surfar”, conta o carioca Davi Teixeira, local da Praia do Recreio (RJ), em entrevista ao Torcedores.com.

No próximo dia 9 de dezembro, Davizinho, que já está na Califórnia, vai entrar na água para disputar o título mundial de surf adaptado no Stance ISA World Adaptive Surfing Championship, organizado pela International Surfing Association (ISA). A competição, que acontece até o dia 11/12, em La Jolla, nos EUA (assista abaixo o teaser da prova), reunirá 77 atletas de 21 países.

No ano passado, na mesma competição, Davizinho ficou com a vice-liderança do mundo, perdendo apenas a bateria final contra o atual campeão do mundo, o norte-americano Jesse Billauer.

“Eu sei que nessa competição estão os melhores, mas eu vou dar o meu máximo para trazer essa taça para o Brasil. Em todo campeonato eu vou em busca do primeiro lugar, porém o mais importante é vencer os desafios e nos superar cada dia mais “, diz Davizinho, que nasceu com uma má formação no braço e nas pernas.

Em setembro desse ano, o atleta visitou o Hawaii pela primeira vez para disputar a décima edição do Duke’s Annual Ocean Fest, evento realizado na praia de Waikiki, em homenagem ao grande pai do surf, Duke Kahanamoku. O jovem surfista carioca ficou com a segunda posição da prova e arrancou um dez, unânime, dos juízes. “Conhecer o Hawaii foi ótimo. Foi uma das minhas melhores viagens. Lá é tudo maravilhoso, as praias, as ondas, tudo”, relembra.

Recentemente, Davizinho venceu o campeonato de surf adaptado no Leblon, no Rio de Janeiro, organizado pela ADAPTASURF.

Apesar do foco total para buscar o título mundial na Califórnia, Davizinho não esconde seu maior sonho em termos de campeonatos de surf. “Eu estou super-ultra-mega ansioso para disputar a medalha de ouro em Tóquio, no Japão. Acredito que esse é o sonho de qualquer atleta. Vou disputar medalhas no surf, na natação e quem sabe no skate”, conta.

Quando questionado qual é o seu segredo para ser um campeão, Davizinho, que hoje conta com o trabalho do treinador e surfista profissional Betinho Dias, solta o verbo. “Meu segredo para ser um campeão é seguir em frente, nunca desistir dos meus sonhos e nunca olhar para trás. As três palavras mágicas são: fé, determinação e força de vontade. Antes de vencer qualquer desafio você precisa vencer a si mesmo”, finaliza.