Brasileiros garantem vaga para elite do surf mundial em 2017

Jadson Andre
Foto: WSL/Kelly Cestari
Jadson Andre Foto: WSL/Kelly Cestari

O surfista potiguar Jadson André conquistou neste domingo 4 um feito que ele mesmo classificou em suas redes sociais como “algo que parecia impossível”. Jadson chegou as semi-finais do Vans World Cup, em Sunset, no Hawaii. A prova, segunda etapa da Tríplice Coroa Havaiana, o Vans Triple Crown of Surfing, é válida para o ranking de acesso ao circuito mundial de surf. Conquistar uma boa pontuação nessa etapa era tudo o que Jadson precisava para seguir em 2017 na luta pelo título mundial de surf profissional.

LEIA MAIS:

Jadson André é o quinto colocado no Hawaiian Pro

Em termos de resultados, 2016 não foi um bom ano para Jadson no circuito mundial. Entre os melhores do mundo, o surfista chega a última etapa do ano em Pipeline com a 25ª colocação, sendo que o corte é feito na 22ª posição. Para se manter entre os tops do mundo, Jadson precisava garantir uma boa posição entre os dez primeiros do ranking de acesso. Missão dada, missão cumprida. Com o resultado conquistado em Sunset, Jadson André  ficou entre os oito do qualifying.

O Vans World Cup em Sunset foi vencido pelo sul-africano Jordy Smith, outra promessa ao título mundial em 2017.

Outro brasileiro que já tem sua presença confirmada no circuito principal no próximo ano foi o pernambucano Ian Gouveia, filho do lendário Fábio Gouveia, que disputou o título mundial por mais de 20 anos entre os melhores do mundo. Ian encerra o ano com a nona posição no ranking de acesso.

Os brasileiros Bino Lopes  e Jesse Mendes estão na  décima segunda e décima terceira posição no qualifying, respectivamente. Sendo assim, eles torcem para que os surfistas Kanoa Igarashi e Jeremy Flores se classifiquem via ranking principal (em Pipeline), deixando duas vagas livres entre os dez primeiros no ranking de acesso.

A última etapa do Samsung Galaxy Championship Tour e última etapa da Tríplice Coroa Havaiana é o Billabong Pipe Master, em Pipeline, com janela de espera de 8 a 20 de dezembro, cujo defensor do título de campeão é o brasileiro Adriano de Souza. Também vão representar o Brasil na prova os atletas Gabriel Medina, Wiggolly Dantas, Miguel Pupo, Alex Ribeiro, Filipe Toledo, Alejo Muniz, Caio Ibelli e Italo Ferreira.

Outros quatro brasileiros tem situações delicadas para permanecerem na elite do surf mundial em 2017. São eles: Wiggolly Dantas, em 20º lugar, e Miguel, em 21º, têm suas vagas ameaçadas por Keanu Asing (23º) e outros atletas. Já Alejo Muniz, com a 30ª posição, precisa chegar no mínimo até às quartas-de-final, enquanto Alex Ribeiro, atual 34º, precisa vencer a prova.

Após o dia 20 de dezembro teremos a lista final dos brasileiros que em 2017 brigarão pelo título mundial de surf profissional da World Surf League.