92ª São Silvestre: técnica e festa no encerramento do ano esportivo nacional

São Silvestre 2016
Crédito da foto: Reprodução/TV Globo
A 92ª Corrida Internacional de São Silvestre será o destaque deste sábado, dia 31 de dezembro, reunindo cerca de 30 mil atletas de diversos países. A mais importante corrida de rua da América Latina, que fechará o ano esportivo nacional, mesclará técnica, com a presença de destaques do circuito internacional, e festa, com os milhares de amadores que comemoram o fim de ano correndo pelas ruas e avenidas de São Paulo.

A largada será na Avenida Paulista, altura da rua Ministro Rocha Azevedo, e a chegada em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero. A programação no dia da prova começará às 8h20, com a categoria Cadeirantes. Em seguida, será a vez da elite feminina, às 8h40.  A partir das 9h será a vez das pessoas com deficiência, pelotão de elite masculino e pelotão geral (masculino e feminino), nesta ordem.

LEIA MAIS:
SÃO SILVESTRE 2016: SAIBA COMO ASSISTIR À CORRIDA DE RUA AO VIVO NA TV
VÍDEO: DENÍLSON SE EMOCIONA AO REVELAR PEDIDO DA FILHA EM JOGO BENEFICENTE

A edição deste ano promete ser disputada. O grupo de atletas de Elite conta com destaques do Brasil e de outros seis países – Quênia, Etiópia, Tanzânia, Bolivia, Colombia e Alemanha -, deixando ainda mais difícil fazer qualquer previsão sobre resultados. Os estrageiros têm dominado os últimos anos, sendo que as mais recentes vitórias brasileiras aconteceram em 2006, com Lucélia Peres, e 2010, com Marilson dos Santos.

No masculino, as atrações nacionais serão Giovani dos Santos, vencedor neste ano da Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, da Volta da Pampulha e da Eu Atleta 10K Rio. Ele terá a companhia de experientes corredores, como Gilmar Lopes, terceiro colocado na Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro 2016; Gilberto Lopes, terceiro colocado na Maratona Internacional de São Paulo; Vagner Noronha, quinto na Maratona de São Paulo 2016; Damião de Souza, campeão da Meia Maratona de São Paulo; Wellington Bezerra da Silva, campeão brasileiro de corridas de rua em 2015, entre outros.

Já no feminino, Joziane Cardoso, também campeã da Meia Maratona do Rio de Janeiro 2016, puxa a lista de destaques. Ela lutará ao lado de Marizete Moreira dos Santos, bicampeã da Maratona Internacional de São Paulo; Tatiele de Carvalho, top ten na São Silvestre do ano passado e representante do Brasil nos Jogos Rio 2016; as experiente Marily dos Santos, que também esteve nos Jogos Olímpicos, e Cruz Nonata, sempre obtendo resultados entre as dez mais bem colocadas em diversas provas; Andreia Hessel, quinta na Volta Internacional da Pampulha 2016; e Adriana da Silva, entre outros destaques.

A relação de estrangeiros no feminino tem dois grandes destaques, a tricampeã Ymer Ayalew, da Etiópia, e a queniana Jemima Sumgong, campeã das maratonas de Londres e dos Jogos Olímpicos Rio 2016, que já entraram no grupo de favoritas. Mas há outras atrações confirmadas na prova, como as tanzanianas Faliluna Matanga, campeã da 10K Rio 2014 e da Tribuna 2016, e Jaclyn Sail, terceira na São Silvestre 2013; as quenianas Flomena Daniel, campeã da Saitama Marathon no Japão  neeste ano; e a alemã Nadine Gill.

Entre os homens também há muita gente boa. Da Etiópia estará Dawit Admasu, campeão da São Silvestre 2014; da Tanzânia serão Augustine Sulle, com inúmeras vitórias em provas no país; e Gabriel Geay; do Quênia estarão os atletas Paul Kemboi, que venceu a Tribuna deste ano e também os 15 km de Stambul; William Kibor, que venceu a Meia Maratona de Las Vegas; Mathew Cheboi, campeão da Meia Maratona Internacional de São Paulo em 2007 e quarto na Volta Internacional da Pampulha 2016; da Colômbia Sergio Rodriguez, campeão nacional de cross e revelação de seu país; e da Bolívia Vidal Mamane.


Percurso

O percurso deste ano sofreu ajustes, tornando-se ainda mais dinâmico, ao incluir trechos com ruas e avenidas mais amplas e seguras. Ruas  como  Margarida, Olga e adjacências (próximas ao Memorial da América Latina), que já não suportavam o número de corredores, saíram do traçado. Elas deram lugar a trechos do Centro Histórico de São Paulo, como a Xavier de Toledo, Sete de Abril, Bráulio Gomes, Viaduto 9 de Julho, Viaduto Jacareí e Rua Dona Maria Paula, capazes de atender a demanda de participantes diante do crescimento da Corrida Internacional de São Silvestre.



Jornalista em formação. Fanático por esportes, principalmente futebol. Vivo em busca de desafios e oportunidades que a vida me proporciona.