Opinião: Judô vs Jiu Jitsu: Kimura vs Helio Gracie

helio-gracie-vs-kimura3

Logo após a queda da seleção brasileira de futebol para o Uruguai, em pleno Maracanã, o país testemunharia, talvez, a maior luta ocorrida de todos os tempos. Em 23 de outubro de 1951, Hélio Gracie enfrentaria Masahiko Kimura, um dos maiores lutadores do mundo de todos os tempos.

Leia mais.

5 MOTIVOS PARA O UFC 205 SER O MAIOR CARD DA HISTÓRIA

JON JONES É SUSPENSO POR UM ANO POR DOPING

A mídia nacional, até hoje, retratam a luta como um grande feito, uma verdadeira “vitória” na derrota de Gracie, pois, ele teria lutado, buscado a vitória e fez com que Kimura sofresse muito mais do que poderia imaginar para superá-lo. Mas, há controvérsias sobre a história.
Kimura foi desafiado pelo brasileiro para uma luta, eis que Hélio queria provar a superioridade de sua arte marcial contra o maior lutador japonês da época.
O oriental negou o desafio, sugerindo que a luta ocorresse contra seu conterrâneo, Jukio Kato.
Mas, o desejo dos Gracies iria se concretizar, pois, após presenciar a derrota de Kato, Kimura acabou por desafiar Gracie.
Com o desafio aceito, a luta, enfim, ocorreu. E nesse ponto começam as discórdias.

Há relatos de que Kimura se esforçava para finalizar a luta, mas não conseguia, pois Hélio conseguia se esquivar e utilizar a famosa guarda para impedir que o japonês lograsse êxito em suas investidas. Esse contexto teria feito com que Kimura não conseguisse cumprir sua promessa inicial, a de que venceria o brasileiro em apenas 3 minutos.
A quebra da promessa, teria feito Kimura ficar preocupado e o povo japonês desanimado, tudo isso, enquanto o brasileiro se mostrava satisfeito por ter segurado Kimura por tanto tempo.
Assim, após o quinto minuto do segundo round, o brasileiro teria sido derrubado , perdido momentaneamente a consciência e sido alvo de uma chave de braço, a que receberia o nome do lutador japonês.
Desse modo, Carlos Gracie, após perceber que o irmão poderia ter o braço quebrado, teria ingressado no tablado e batido por três vezes no chão, terminando a luta.
Esse ato, teria feito Kimura ficar irresignado, pois ele não teria compreendido o ocorrido e teria achado que algum benefício teria sido dado ao brasileiro.
Assim, segundo os adeptos e subscritores desses relatos, Gracie teria sido o maior vitorioso, por ter suportado um dos maiores lutadores da história por tanto tempo, mesmo tendo um físico nitidamente inferior, já que Kimura era um gigante no tamanho, na energia e na técnica.
Mas, por outro lado, há relatos que sustentam a superioridade do judô de Kimura, o qual teria prolongado a luta, apenas para respeitar as pessoas ali presentes. Para os adeptos desse entendimento, a mídia nacional fora parcial a favor do brasileiro, desfigurando o que, de fato, teria ocorrido.
Segundo essa versão, a superioridade de Kimura ocorreu muito mais na técnica do que no tamanho, eis que registros da época comprovam que os lutadores possuíam quase a mesma estatura e porte físico. Além disso, Kimura não teria à época os 100 kilos afirmados, mas “apenas” 85 kilos.
Assim, a diferença entre os lutadores, se limitou ao tablado, eis que o japonês teria conseguido aplicar inúmeros golpes, dos mais variados, apenas como forma de prolongar a luta, eis que poderia superar o brasileiro de forma muito mais célere do que ocorreu.
Durante a luta, afirma-se que Kimura teria, além de girado em cima de Hélio como um peão em cima de um cavlao bugre, aplicado os seguintes golpes: dolorosas técnicas de Grappiling, IPPON-SEOI-NAGE, OSOTO-GARI, HARAI-GOSHI, KUZURE-KAMI-SHIHO-GATAME, KESA-GATAME, SANKAKU-GATAME, e, finalmente, finalizado HÉLIO através de uma chave de braço denominada UDE-GARAMI, tendo, em virtude disso, provocado a quebra do cotovelo do braço esquerdo do opositor.

Um dos principais apoios dessa segunda versão é que, Kimura poderia ter colocado um posto final célere, quando, logo no início do combate, jogara e imobilizara o brasileiro.

Aurelio Mendes – siga-me no twitter @amon78