Inter vence e Argel crava: “fizemos uma partida convincente”

Argel
Ricardo Duarte / Internacional

No entanto, técnico do Inter diz que o time precisa ter “tranquilidade e pezinho no chão” para, de fato, levar o Gauchão pela sexta vez consecutiva. Jogo de volta está marcado para o próximo domingo, às 16h, no Gigante da Beira-Rio.

LEIA MAIS
Juventude x Inter: veja o gol da partida
Inter tem superávit e Grêmio fecha 2015 no vermelho; veja os balanços

Não foi fácil, mas o Inter conseguiu emplacar seu quinto jogo sem levar gols, marcar o seu e manter a invencibilidade que já dura pouco mais de dois meses para largar na frente na decisão do Gauchão. Com a vitória por 1-0 diante do Juventude, em Caxias do Sul, o colorado pode até empatar na próxima semana que leva o caneco do Gauchão 2016.

Em coletiva de imprensa, o técnico Argel Fucks comemorou bastante o resultado, elogiou sua equipe, mas conteve a euforia ao pedir “pezinho no chão” para a sua equipe.

“Fizemos uma partida consistente, segura, bem controlada. A gente sabia das dificuldades. É um adversário que toma poucos gols. A equipe se posicionou bem dentro do campo. Tivemos jogadas pelos lados. Tivemos um passe do Vitinho e uma finalização perfeita do Andrigo. É uma vitória convincente. Não é fácil jogar aqui, mas não fizemos mais do que a obrigação. O mais importante é que a equipe teve maturidade e deu uma resposta muito boa. Demos um passo importante. Não mais do que isso. Vamos trabalhar com calma, tranquilidade e pezinho no chão”, comentou Argel.

EXPULSÃO DE VITINHO

Autor do passe para o gol de Andrigo, Vitinho levou dois cartões amarelos em jogadas seguidas e foi expulso de campo, deixando o colorado com 10 jogadores. Questionado sobre o problema, Argel Fucks minimizou.

“A expulsão do Vitinho não é mais importante do que o jogo. Ele é importantíssimo como qualquer outro. Qualquer coisa que se falar, vai ser internamente. Foi um lance bobo, que acontece só com quem está lá dentro. Os jogadores correram pelo Vitinho, deram um pouco mais. A gente se portou muito bem. Mesmo com um a menos, a equipe estava bem organizada, bem colocada dentro do campo, conseguiu suprir essa ausência. São situações que acontecem e que a gente trabalha nos treinos. Não foi uma decisão tomada no calor da partida. A gente treina com duas linhas de quatro e o Andrigo como referência”, finalizou.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional