A importância de vencer o Botafogo para Jorginho ficar no Vasco

Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O Vasco pode perder o seu treinador que, de fato, recebeu uma proposta interessante do Cruzeiro e, como todo profissional, balançou. A Raposa, por sua vez, está correndo atrás de um profissional de ponta para guiar sua equipe no ano de 2016 e Jorginho é, sem dúvidas, alguém capaz para isso.

LEIA MAIS:
MERCADO DA BOLA: BOTAFOGO PODE PAGAR RESCISÃO DE KLEBER GLADIADOR
VÍDEO: VASCO MOSTRA COMO DEVE CUIDAR DAS CRIANÇAS E NENÊ É IDOLATRADO
BOTAFOGO GANHA REFORÇO PARA A FINAL DO CAMPEONATO CARIOCA
VEJA POR QUE A IMPRENSA INTERNACIONAL ESTÁ PESSIMISTA SOBRE AS OLIMPÍADAS

Treinador de destaque desde 2006, quando levou o América a uma final de turno contra o Botafogo, Jorginho é considerado peça importante como auxiliar-técnico de Dunga na Seleção Brasileira de 2006 a 2010. Posteriormente, em 2011, fez outro grande trabalho a frente do Figueirense chegando muito perto de conquistar uma vaga na Libertadores da América pelo Campeonato Brasileira.

De lá para cá, seu rendimento caiu. A passagem pelo Flamengo foi frustrante e na Ponte Preta foi rebaixado, embora tenha levado à equipe até à final da Copa Sul-Americana. Em 2013, ele recebeu a missão de salvar o Vasco da Gama do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro e fez mais do que lhe foi pedido, sem, no entanto, conseguir fazer o que todos queriam.

Jorginho não salvou o Vasco da Série B. Caiu, mas caiu de pé e com orgulho, deixando a torcida vascaína com a mesma sensação, a sensação de que era preciso abraçar o Vasco. A invencibilidade de quase 6 meses não é apenas fruto da sua capacidade de organizar a equipe, é também de uma motivação que vem das arquibancadas e que garante que esse projeto esteja dando certo.

Entretanto, como todo projeto, ele está constantemente sujeito a avaliações. Jorginho sabe disso e, por isso, o Campeonato Carioca é um fator determinante para mantê-lo no cargo. A Série B é uma realidade, portanto, o Vasco terá de enfrentá-la, inevitavelmente, a partir de maio, mas a maneira de fazer isso é importante. Uma coisa será Jorginho comandar uma equipe em que seus principais jogadores receberão propostas ao longo de toda a janela de transferência, porém, como campeões invictos Carioca; outra, muito diferente, é encarar esse desafio sem um título que reafirme o potencial de sucesso desse projeto.

Esse é o grande dilema pelo qual deve estar passando Jorginho. Vencer o Campeonato Carioca pode fazê-lo, pela paixão, ficar no clube com o qual ele mais se identificou desde que iniciou sua carreira de treinador.

Crédito da Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br