Wanderlei Silva pede desculpas por acusar UFC de armar lutas

Wanderlei Silva - instagram oficial

O ex-lutador Wanderlei Silva se retratou nesta quinta-feira (14) com o UFC. O curitibano, que lutou na organização e foi campeão no Pride, atacou o Ultimate em diversas oportunidades. Entre as acusações, está a de que a companhia armava lutas. Ele, inclusive, teria afirmado que conseguia provar isso.

LEIA MAIS:
Wanderlei Silva divulga vídeo rebatendo críticas

 

Em julho do ano passado, contudo, o UFC entrou na Justiça, acusando Wanderlei de “má conduta intencional”. À época, o brasileiro estava suspenso na organização por ter fugido de exames antidoping.

Nesta quinta-feira, o “Cachorro Louco” mudou o discurso. Adotando tom mais brando, o lutador se desculpou publicamente, alegando que não entendeu o termo “luta armada”.

Silva’s RetractionI Was Wrong, apologize.”In July of last year, I posted a number of comments on Facebook and…

Publicado por Wanderlei Silva em Quinta, 14 de janeiro de 2016

Confira a tradução do comentário de Wanderlei Silva na íntegra:

“Retratação do Silva

Eu estava errado, peço desculpas.
Em julho do ano passado, eu postei uma série de comentários no Facebook e Twitter, que incluiam repetidas declarações de que o UFC “armava lutas” e que eu poderia “provar isso”. Venho por meio deste me retratar de tais declarações na sua totalidade, já que não compreendi que o termo “luta armada” se refere especificamente a ação ou prática ilegal de determinar de forma desonesta o resultado de uma luta antes que ela aconteça. Eu entendo que a reputação do UFC seria prejudicada se meus fãs e outros acreditassem que o UFC se envolvia no resultado das lutas, e não tenho nenhuma evidência para apoiar tal afirmação. Peço desculpas por qualquer mal entendido que meus comentários possam ter causado.

Wanderlei Silva”

Atualmente com 39 anos, Wanderlei anunciou aposentadoria do MMA em setembro de 2014. Ao todo, o lutador disputou 49 combates. Foram 35 vitórias, 12 derrotas, um empate e uma luta sem resultado. O último embate do “Cachorro Louco” foi uma vitória por nocaute sobre Brian Stann, em março de 2013.

Ele também foi treinador em duas edições do programa “The Ultimate Fighter: Brasil”. Ele dividiu a função na primeira temporada com Vitor Belfort. Na terceira, o rival foi o americano Chael Sonnen.

Crédito da foto: Reprodução/Instagram



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.