‘Voz do LoL’ no Brasil, Toboco elogia profissionalismo no e-Sports

Diego “Toboco” Pereira é um renomado Narrador/Comentarista do cenário de eSports brasileiro, mas nem sempre foi assim, ele se dedicou bastante para chegar aonde está, nunca desistiu da sua carreira. Hoje em dia podemos apreciar a sua qualidade e talento nas transmissões da Riot Games.

Em entrevista ao Torcedores.com, Toboco conta um pouco sobre o inicio de sua carreira:

Não tem como iniciar a entrevista sem perguntar como você entrou para esse mundo do e-sports, creio que muitos fãs gostariam de saber isso, como foi?

Primeiramente olá pessoal, Toboco aqui e espero que vocês curtam a entrevista! Bom, comecei em 11/2012 pois patrocinava uma equipe que levava o nome da minha loja na época, EXP Games. Como ninguém narrava as partidas eu pensei, porque não narrar? Assim comecei nesse mundo da narração e continuo firme e forte.

Esse inicio como foi? O cenário de LoL ainda era pequeno no Brasil, você acreditava fielmente que iriamos chegar no tamanho atual?

Era muito pequeno! A primeira stream narrada pegou 35 espectadores de pico e lembro que ficamos 1 ano comemorando números como 500 espectadores. Hoje quando olhamos mais de 100 mil por confronto é algo surreal e não tinha como imaginar que chegaria a esse patamar, fazíamos por puro hobby, diversão. Hoje é trabalho e portanto muito mais profissional.

 O que mudou quando você percebeu que tinha se tornado algo profissional?

No começo era meio ”jogado” pois apesar de sempre tentar melhorar, não tínhamos referências suficientes. Com passar do tempo o nível foi aumentando e cada vez mais exigi de mim melhorias para os espectadores. Hoje me mantenho atualizado do jogo, jogo LoL buscando o sonhado Diamante, estou fazendo fono, peço feedbacks em minha página aos espectadores e ao meu diretor além claro da auto-crítica em sempre buscar o aperfeiçoamento. Humildade é primordial em um meio que mesmo que você nunca vá ser unanimidade (gosto pela narração de uma pessoa é algo muito pessoal), deve estar sempre à disposição de melhorar.

A Riot exige algum tipo de preparação de vocês? Você já disse que faz muitas coisas para estar melhorando, mas a produtora pede algo? 

Nosso diretor trabalhou na Band e trouxe o nível de TV para as transmissões do CBLoL, logo ele também busca tirar o máximo potencial de todos os casters, seja narrador, apresentador, analista ou comentarista. Precisamos sempre estar melhorando, a carreira de narrador é longa e demora para ”explodir”, normalmente na casa dos 40 anos, a média de idade dos casters do CBLoL é algo em torno de 25 anos, temos muito o que aprender ainda.

LEIA MAIS:

Motivado, Leko fala sobre o ambiente família na Keyd Stars

Caster de LoL, Tixinha conta como ingressou no e-sports e é otimista sobre cenário atual

Você já é bastante conhecido, não somente pela sua qualidade em transmissões, mais pelo carisma, bordões… Como é sua rotina normalmente já sendo tão conhecido e com uma fãbase grande?

Diria que normal, faço academia, vou no mercado fazer compras, gosto muito de tomar café da manhã na padaria, ficar com meus gatos, assistir séries (estou vendo Breaking Bad agora). Quanto aos fãs já fui reconhecido em tudo que é lugar, no próprio mercado que eu vou algumas pessoas que trabalham lá, na rua caminhando às vezes me param, metrô e até o caso mais engraçado que foi dentro do mar, um fã reconheceu minha voz haha. Quanto as streams faço cerca de 50 horas por mês e isso é bacana pois ao mesmo tempo que jogo e aprendo sobre LoL, também converso com os fãs e fico mais próximos deles. Aliás falando em fãs, seja o lugar ou hora estou sempre à disposição para tirar uma foto ou conversar, sem eles eu não estaria aqui.

E qual sua análise do cenário atual? O que ele foi, o que é e o que pode ser em sua visão?

O cenário esta caminhando para profissionalização, acredito que vai levar mais 2 ou 3 anos para chegarmos no ponto ideal. Porém se for comparar com o início o salto já foi gigantesco! Quando digo ideal é times e jogadores alinhados com profissionalismo que tanto buscamos em outros esportes por exemplo.

E para terminar, quero agradecer pela disponibilidade, conversar contigo só comprovou que és uma ótima pessoa. Gostaria que tu deixasse uma mensagem para os seus fãs e o pessoal que sonha de alguma forma trabalhar no e-sports, vejo muitas pessoas desistindo de primeira para entrar nesse meio.

Eu que agradeço pelo convite e como falei no início da entrevista espero que tenham gostado! Quanto a quem quer entrar nesse mundo do esporte eletrônico, digo que há muitas vagas, desde a equipe de transmissão até o treinador do time. São centenas (se não milhares) de pessoas envolvidas hoje nesse ramo que só tende a crescer. Se você realmente deseja este meio, lute como se fosse como qualquer outro ramo, tenha FOCO. No mais, agradecer aos meus patrocinadores NVIDIA, KaBuM! e RAZER, a minha esposa Daniela sempre parceira nessa trajetória, minha família que mesmo longe torce muito por mim e claro a todos os fãs que me colocaram onde estou hoje e sou muito grato a cada um de vocês.

Eu reforço os agradecimentos ao Toboco, por todo apoio e disponibilidade para que a entrevista pudesse ter acontecido, até a próxima!

Curtiu esta matéria? Dê um like na página do autor e o acompanhe: Tiago Ruas

Foto: Reprodução/Facebook



Analyst and Content Specialist eSports.