Reformulado, Cruzeiro dribla menos que nas últimas duas temporadas

Cruzeiro
Foto: Gualter Naves/LightPress

Em 2013 e 2014 o Cruzeiro foi o time sensação do futebol brasileiro com jogadores como Marcelo Moreno, Ricardo Goulart e Éverton Ribeiro. Conquistou Campeonato Mineiro e o bicampeonato Brasileiro. Para essas conquistas, brilhou em campo com dribles, tabelinhas e muitos gols.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: Cruzeiro prepara oferta tentadora para tirar meia do Santos

Já em 2015, com um elenco completamente reformulado, o drible se tornou algo mais raro de de ver nas partidas do time. Segundo um levantamento feito pelo ‘Globoesporte’, nas 19 partidas oficiais desta temporada, o Cruzeiro tentou um total de 125 dribles, média de 6,5 por partida. Já em 2015 foram 274 tentativas, mais que dobro, de dribles (média de 14 por partida).

A diferença com relação as temporadas anteriores é tão grande que em 2013, durante o Estadual, só Éverton Ribeiro tinha 29 dribles, mais do que a soma do que Judivan, Marquinhos e Arrascaeta juntos, que somam 28 em 2015.

Atualmente De Arrascaeta tem 11 dribles certos, Marquinhos nove e Judivan vem na terceira posição com oito dribles.

Para o técnico Marcelo Oliveira, a explicação está no preparo físicos dos jogadores atualmente. “O preparo físico evoluiu muito. O jogador corre mais do que corria um tempo atrás, a marcação forte, espaço menor e isso dificulta para o jogador que se utiliza do drible. Quando se joga com um time fechado, que se movimenta muito, é fundamental que se tenha o drible para criar mais jogadas”.

Foto: LightPress/ Divulgação / Cruzeiro