Estreia do Brasil na Copa deixa uma certeza: arbitragem vai ajudar

Detalhes
Getty Images

A seleção brasileira venceu bem a Croácia por 3 a 1 no jogo de abertura da Copa do Mundo, mas a construção do resultado teve a ajuda fundamental de um personagem que, até antes de a bola rolar, era motivo de preocupação: a arbitragem.

O japonês Yuichi Nishimura causava arrepios nos torcedores brasileiros por ter comandado a partida entre Brasil e Holanda na Copa de 2010, que terminou com eliminação do time canarinho.

No reencontro com a seleção brasileira, no entanto, a história foi bastante diferente, e o resultado da partida contra a Croácia, no Itaquerão, poderia ter sido outro não fosse a participação decisiva do apitador.

DESTAQUE
Jornal argentino vê vitória roubada do Brasil

Nishimura marcou pênalti polêmico em cima de Fred, no segundo tempo, e permitiu a Neymar marcar o gol que decretou a virada brasileira em um momento bastante tenso do duelo.

Momentos depois, voltou a dar uma forcinha para os donos da casa, quando anulou o que seria o segundo gol croata alegando falta de Olic em Julio César, que não existiu.

Os europeus deixaram o gramado revoltados com o apitador, enquanto do lado brasileiro o que prevaleceu foi a imparcialidade ao falar sobre os lances em questão.

“O que importa é que merecemos vencer”, disse o terceiro goleiro do time, Victor, dizendo ainda que, de onde estava, “pareceu pênalti” em cima do camisa 9 Fred.

A verdade é que a arbitragem parece estar bem instruída a utilizar uma regra secreta do futebol: na dúvida, a infração é sempre a favor do time da casa. Por isso, pode dormir tranquilo, Felipão. A arbitragem vai, sim, ajudar mais do que atrapalhar o Brasil.



Apaixonado por futebol e esportes em geral.